♛Paixão Sem Limites – Neila Almeida

Por Estefania Cristina

Eu acredito que todo o livro é capas de acender uma luz em nossa mente, e quanto mais livros eu ler, mais perto do divino eu estarei.

Pois cada livro possui um elixir, para cada dor que possa existir em seu coração, bastar abrir a mente e aceitar a jornada ao lado do personagem.

Escolha o seu destino, abra um livro!

Nota de Estefania Cristina, autora da obra  O Rélicario: A Historia dos Mundos.

 

Olá leitor! Hoje vamos filosofar um pouquinho sobre os principais acontecimentos do romance quente: Paixão Sem Limites da autora Neila Almeida. O livro conta a historia de Isabela e Gabriel, que tem suas vidas traçadas a partir de um encontro na internet.

Quando eu peguei o livro para ler, pensei que se trataria apenas de um romance erótico, mas, as coisas mudaram de rumo e eu acabei derrubando rios de lágrimas.

Sinopse: Isabela sente-se triste e confusa, aos trinta anos vive com sua autoritária mãe e mais duas irmãs. E jamais experimentou uma paixão, sem contar que é virgem. Até que Gabriel muda esse quadro em sua vida.

Tudo parece fácil — e do meu pondo de vista, que é irônico — chega a ser engraçado. Uma mulher virgem aos 30 anos? Mas, agente rir para não chorar, pois a mãe de Isabela é uma naja puritana, que obedece aos princípios religiosos ao pé da letra. Obedece tanto que atrapalhou muito a vida das filhas.

Querido leitor, fique claro que eu respeito toda e qualquer religião, mas, a partir do momento que aquela crença se torna limitante é algo a se analisar.

Isabela sofre tanto com a sua mãe, que se vê em depressão. A pobre garota que vive igual ao tão pior quanto A Gata Borralheira, decide que é hora de viver. E conhece Gabriel.

Ah Gabriel! Ele não é do tipo de galã que faz as mulheres suspirarem por amor… Bem, elas até suspiram, mas é por outro motivo. (Risos)

“Como você é quente — ele sussurrou no meu ouvido. — Consegue sentir como eu estou pulsando por você? Como eu estou pulsando dentro de você.” — Parte 22.

Já ouviu a expressão: “É do caos que nascem às estrelas”?

Gabriel é o que eu chamo de anti-herói. Teríamos motivos para ficar apaixonadas por ele, se ele não fosse um “Predador de… predador sexual”… Olha a mente… Não vou cantar funk aqui! (Gargalhada)

“Mas pra mim era difícil entender porque eu ainda estava com Norma se ela não me satisfazia em nada, e surpreendentemente, eu a amava.” — Parte 23.

Ah é um pequeno detalhe, Gabriel é casado! Ele narra durante a historia um relacionamento frio com a esposa. Em busca de aventuras conhece Isabela em um chat. Ele acaba por gostar da moça, porem, ele volta a se sentir como um adolescente eufórico pela nova conquista. Gabriel esquece o que é o amor, o que muda de forma surpreendente no fim do livro.

“Agente tem que encarar a vida com humor, senão ela nos atropela.” — Parte 34.

Isabela foi pega de surpresa, quando Gabriel resolve revelar a verdade. O que foi nobre da parte dele — até aquele momento — mesmo sentindo o impulso de tentar levar adiante Isabela como a outra.

Claro, nossa mocinha, não aceitou! Juntou seus cacos e reiniciou, o que se tornou difícil já que Gabriel acabou, por se tornar seu vizinho, quando aceitou uma proposta de trabalho temporária em sua cidade.

Bela — como todos a chamam — começa a sair com o Otavio, um amigo da infância. E um romance verdadeiro começa a desabrochar. Se tornando a coisa mais linda da historia.

“Era estranho como haviam pessoas que tinham a capacidade de minar a nossa alegria,de consumir as nossas energias,nos jogando num poço de amarguras. Eu convivia com uma pessoa assim,que parecia sugar minha energia vital. Minha mãe! E eu entendia exatamente porque Otávio estava daquele jeito.” — Parte 52.

Porem, mais uma vez a vida lhe dá uma rasteira. A mãe de Isabela vê suas conversas no seu notebook, e descobre que nossa mocinha não é mais virgem é a coloca para fora aos ponta pés. E ai pronto… Eu comecei a chorar! Foi uma cena de doer o coração. Como se não bastasse o tormento diário que Bela sofria, e as coisas dai para frente, relacionadas com a mãe, só pioram.

Obs.: A Dona Silvia, mãe da Isabela é constada no final do livro com Depressão pós-parto.

Nesse momento eu parei tudo, e fui fazer uma pesquisa voltada a psiquiatria: Mães que odeiam seus filhos.

Parece quase uma blasfêmia, pensar que um ser que carrega a denominação, mãe, possa odiar seus filhos. Parece monstruoso para própria mãe, carregar esse segredo. Já que ela sabe que ninguém vai lhe entender.

É um assunto muito mais complicado do que imaginamos querido leitor. Então quero tratar esse tema, sobre um ponto de vista: Filosófico, Psiquiátrico e amigável. Evitando prejulgamentos.

O que parece ser algo pouco comentando, já vem sendo discutido por vários séculos, ate mesmo na mitologia grega: Quando Medeia mata os próprios filhos, para se vingar de Jasão que a deixa para ficar com outra mulher.

O que um bebê pode representar para uma mãe? Essa pergunta nos faz pensar em sorrisos e bochechinhas fofas. É muito amor! Mas, eu vou te perguntar novamente:

O que um bebê pode representar para uma mãe que tem depressão pós-parto?

(Lembrando: Isso é uma doença séria. Acesse as palavras destacadas para ver informações de forma mais clinicas e claras. Abordagem do psiquiatra Dr.Winnicott, e pesquisa da historiadora e escritora Mary del Priore.)

  •   “O bebê representa um perigo para o seu corpo durante a gravidez e o parto.”
  •   “O bebê é uma interferência na sua vida privada, um desafio à preocupação.”
  •   E tem a falta de tempo para você se dedicar a você, sem que haja correria.

Ser mãe não é simplesmente colocar alguém no mundo, ser mãe é amar o seu filho e educa-lo para o mundo. Não faça filho por que é bonito! Pois ele vai mudar a sua forma de viver.

Antes de ser mãe, tente ter um animal de estimação primeiro, se você conseguir cuidar de um animalzinho talvez você esteja pronto para cuidar de ser humano que é muito mais complexo.

Não é apenas um bebê, é uma mente que necessita — principalmente na infância — dos estímulos corretos para sua mente, para que venha se tornar uma pessoa boa, dedicada e com ambições que faça bem para si e para a humanidade. A criança precisa ser bem cuidada e educada!

Ter filho é quase um projeto científico! Você vai ensina ele andar, falar… Dependendo do que você ensinar ele pode ser uma bênção ou uma decepção. Ninguém nasce sabendo nada, tudo se aprende e se cria.

E dependendo de como a mãe se sente em relação ao filho, vale lembrar que não da para dar um “Start” e voltar ao tempo. Mas, muitas tentam é por isso acontece tanta coisa ruim a esses pequenos anjos.

Um bebê pode representar tantas coisas para alguém que sofre dessa doença, que tudo que eu posso oferecer são conselhos, eu acredito que é clinicamente saudável consultar um psicólogo, o fato de você ir, não significa que você é doido e um mundo vai te tacar uma pedra, demonstra que você é uma pessoa sabia e que se importa com sua saúde mental. E se você não é mãe, pense em tudo que vai mudar na sua vida quando você se tornar e qual parceiro vai estar ao seu lado, por que quando se é mãe, não se pode ser egoísta. Não dá para despejar no seu filho aquilo que você perdeu por ele esta ali.

Como vocês perceberam, o livro com o seu jeito simples,  carrega junto da personagem Isabela uma complexidade gigantesca. E pra quem quer saber meu personagem favorito ainda é o Gabriel, mesmo ele sendo um safado. Por que, foi necessário o Gabriel trazer o caos para ela encontrar a felicidade no final do livro. Esse livro está disponível para leitura no Wattpad.

“A mente que se abre a uma nova ideia jamais voltará ao seu tamanho original” — Albert Einstein.

A resenha de hoje trouxe a tona muitos assuntos polêmicos e românticos. Muito obrigada leitor, por ter me acompanhado ate aqui! Abraço!

 Por Estefania Cristina, autora do livro Pétalas de Sangue -Intenso Desejo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.