✍ Entrevista: Escritora Shirlei Santos

Olá meu amigo, como você está? Espero que muito bem e que esteja animado para esse começo de mês! Como todos os sábados (exceto quando há sorteios) é dia de entrevista com escritores aqui no blog.

Hoje, a autora entrevistada é a Shirlei, que retrata bem a dificuldade enfrentada por muitos autores brasileiros, pelos mais variados motivos, que vão desde dificuldades financeiras até o preconceito, para realizar um grande sonho: publicar o seu livro.

Aproveito para deixar os meus agradecimentos à escritora por sua participação e deixar meus votos de sucessos!

Vamos Começar!

Escritora: Maria Shirlei dos Santos

Biografia resumida: Nasci em Santo Anastácio/SP, aos 12 anos de idade escrevia poemas, sempre sonhadora, passei a escrever peças teatrais, sendo que duas delas foram apresentadas no teatro municipal de minha antiga cidade, Presidente Prudente: a peça teatral Quando Acordei Estava Morto, apresenta Zezão, que dá cabo de sua vida e vai parar no inferno, onde começa seu suplicio, foi apresentada pelo grupo teatral Essência, dirigido por minha amiga Elizabethe Barboza, reunindo na apresentação mais de 300 pessoas, logo fomos convidados para abrir o festival de teatro com a mesma peça, mais tarde escrevi a peça A Alma de um Poeta, onde retratei a sensibilidade à flor da pele.

Tive ainda algumas poesias publicadas nos jornais locais.  Em 1993, tendo descendência japonesa, fui para o Japão, voltando e fixando moradia no Brasil em 2015. Após o falecimento de minha mãe, mudei-me para Guarulhos, dois anos depois vim morar em Angatuba, para ser feirante e é onde vivo até hoje.

Atualmente, trago comigo dois romances, um deles estou comercializando artesanalmente, onde eu faço todo o processo, montagem encadernação e tudo, na esperança de encontrar um patrocinador.

Livros publicados: Felicidade tem Prazo de Validade (GLS)

Livros que serão publicados: Felicidade tem prazo de validade, e Unidas pelo ódio, vencidas pelo amor (Ficção).

perguntas-tag-300x159

  1. O que te inspira a escrever?

R: A vontade de viver o que as vezes eu não posso viver.

  1. Quanto tempo aproximadamente você levou para escrever seu primeiro livro?

R: Aproximadamente seis meses, porque na época não existia computador ao meu alcance, era tudo manuscrito, depois eu usava uma máquina de escrever antiga (risos).

  1. Que temas aborda em seus livros?

R: Abordo temas que eu mais gosto de assistir nos filmes, ficção e terror, porém, ultimamente estou escrevendo sobre o mundo GLS.

  1. Qual a história por trás da suas estórias?

R: Algumas estórias, se tornam histórias vividas, outras, são apenas ficção.

  1. Você se sentiu incentivada para escrever e posteriormente publicar seus livros?

R: Senti por algumas pessoas, mas a maior dificuldade que enfrentei por anos, foi o meu pai que sempre me criticou e me condenava, dizendo que isso era coisa de quem não tinha o que fazer. Que literatura, não trazia comida para o prato que eu comia.

  1. Quais as maiores dificuldades que você enfrentou ao longo dessa caminhada (começar a escrever até publicar)?

R: A maior dificuldade que eu enfrentei, foi meu pai ser contra, também, coitado, sem estudo, ignorante, no mundinho dele, as demais foram o financeiro, quando muitas portas se fecharam em minha cara. Também já fui traída por pessoas que tentaram me trapacear, levando consigo meus manuscritos e até dinheiro de patrocinadores.

  1. Que conselhos daria a um aspirante a escritor?

R: Que nunca desistam, não façam como eu que parei anos e agora estou voltando a lutar pelo meu espaço, mas com uma vantagem, com a experiência por saber o que irei enfrentar pela frente. Acreditem em você mesmo, porque se você não o fizer, ninguém mais fará.

 Notas da autora: Estou tentando lançar um livro há mais de 30 anos, apesar das dificuldades, eu acredito que um dia conseguirei, hoje estou vendendo meus romances impressos em papel sulfite e encadernados artesanalmente, pois acredito que um dia, ele cairá nas mãos de uma pessoa que acredite em meu potencial, Deus só dá aquilo que a gente merece, e na sua hora, e creio que minha hora está chegando. 

Um pouco sobre meus dois romances:

Felicidade Tem Prazo de Validade, é um romance GLS, onde eu mostro a realidade nua e crua que enfrentamos por nossa sociedade.

Unidas Pelo Ódio, Vencidas Pelo Amor, conta uma estória sobrenatural, onde um feto consegue ir contra as leis naturais e reencarna para se vingar do seu passado.

Eu me chamo Shirlei, meu pseudônimo é Loba Solitária, tenho 50 anos de idade, moro em Angatuba interior de São Paulo, escrevo desde os 12 anos, poesias, romances e peças teatrais, sou autônoma, solteira e trago um sonho, um dia poder ver meus trabalhos sendo reconhecidos.

Uma frase que sempre digo é que, “Para ajudar uma pessoa carente, não é preciso ser rico, basta ser humano!” (Loba Solitária)

Interessados em patrocinar e/ou efetivar parcerias com a autora, sintam-se a vontade para adicioná-la no facebook, clicando aqui

E você, também enfrentou ou enfrenta as mesmas dificuldades da autora? Que mensagem você, leitor, deixaria para nossa amiga? Deixe seu comentário! Até o próximo post 🙂 Bjs

3 Responses to ✍ Entrevista: Escritora Shirlei Santos

  1. Ben Oliveira disse:

    Conheci o seu blog através do grupo do Wattpad no Facebook (estava linkado no seu perfil). Adorei a iniciativa de entrevistas autores da plataforma de leitura, levando em conta que ela ainda precisa crescer muito no Brasil.
    Abraços

    • Fico muito feliz que tenha gostado e por ter vindo conhecer o blog. Concordo contigo, eu mesma conheci a plataforma faz pouco tempo, onde tenho acompanhado histórias muito boas, dignas de grandes autores. Acredito que aos poucos ela se tornará mais e mais conhecida, no que terei prazer em ajudar. Seja sempre bem-vindo Ben. Bjs

  2. Critica sobre o Livro, Felicidade tem Prazo de Validade.

    Esta é uma das mais se não a mais difícil crítica que me propus a fazer, provavelmente por expressar uma antítese entre meu “eu” leitora e meu “eu” de escritora.

    Também devo levar em consideração a forma que o livro me foi apresentado, com certeza as circunstancias foram de grande valia para a avaliação.

    Passeando um dia por uma praça com meu cachorro encontro o tal livro esquecido em um banco, como estamos em tempos de chuva, não pensei duas vezes antes de leva-lo para casa. Um livro dedicado a uma pessoa distraída que me permitiu conhece-lo, alguns chamariam de coincidência, outros de destino, eu diria simplesmente mágica.

    Voltando aos sentimentos controversos que meus dois lados expressaram eu não poderia fazer uma crítica válida usando apenas uma parte, afinal primeiro fui uma leitora para depois ser uma escritora, então deixo aqui registrado ambas opiniões fundidas em uma só.

    Vivemos em um mundo sufocante, onde a gentileza, doçura e o amor se tornam patéticos, julgados até impossíveis quando apresentados de uma forma exagerada. Mas eu me pergunto, precisamos mesmo de mais realidade?, você realmente precisa de um livro para lhe mostrar o quanto cruel a vida pode ser?

    Suave, temas polêmicos abordados com sutileza, sem aprofundamentos desnecessários, tendo seu foco principal exatamente na escola que se levanta, uma fuga da realidade, com uma única diferença. Uma fuga racional, a qual todos estão procurando e poucos irão encontrar.

    Amor com prazo de validade, tira o foco dos personagens centrais e traz a você o medo do fim, embora não seja segredo, estamos sempre ocupados demais para pensar que o tempo devora tudo e o que você vai deixar? Pouco importa o tempo que se viva, o tempo que se ame, pessoas todos os dias deixam de existir sem deixar coisa alguma, indiferente de quantas Veras, Vanessas ou mesmo Vitors, o que você irá fazer nesta vida? Eu irei viver!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.